← Back to portfolio

Centro Socioeducativo de Governador Valadares recebe palestras sobre prevenção de doenças

Published on 19th February 2018

Ao falar sobre as doenças e como elas são transmitidas, Larissa reforçou que é preciso estar alerta aos sintomas. De acordo com ela, há situações em que as enfermidades não são percebidas a tempo: “A gente tem percebido muita gente adoecendo, pessoas da família ou conhecidas, e isso passa despercebido muitas vezes. As pessoas não notam os sintomas, não tiram um tempo para entender o que está acontecendo. Precisamos orientar sobre esses cuidados com o ambiente, cuidados onde a gente trabalha e a gente mora, para diminuir a infestação dessas doenças”.

CUIDADOS

Assim como a dengue, a zika e a chikungunya, a leishmaniose também é transmitida por picada de mosquito. Enquanto as três primeiras têm o Aedes aegypti como vetor, a leishmaniose é transmitida pelo mosquito palha, de menor tamanho e voo rasteiro, e que coloca ovos em materiais em decomposição, como folhas velhas e úmidas. Em área urbana, cachorros são as principais fontes de transmissão.

“Leishmaniose é uma doença que em nossa cidade tem muitos casos. De dez animais de rua sintomáticos, oito são diagnosticados com leishmaniose. As pessoas têm que ter cuidados, se a pessoa tem um cachorro com sintomas, é preciso fazer a avaliação dele. Todo mundo sabe como se transmite dengue, chikungunya e zika, e ainda sim nós temos casos. O índice de infestação do mosquito, em nossa cidade, aumenta mais a cada dia que passa. E sabemos que aqui no bairro tem muito mato, muito lixo e muita chuva, então vai ter foco” - orientou a enfermeira.

Com doenças como hanseníase e tuberculose, Larissa adverte quanto à necessidade de observar os sintomas: “Essas doenças não são transmitidas por mosquito, mas estão sempre presentes. Os sintomas podem passar despercebidos e a pessoa transmite a doença para a família inteira. É preciso fazer uma avaliação junto ao profissional de saúde. As pessoas têm chegado tarde ao hospital e têm morrido por causa disso”. A hanseníase e a tuberculose são transmitidas após contato com tosse ou espirro de pessoas infectadas.

PARCERIA

As recomendações de prevenção às doenças foram realizadas graças a uma parceria entre o Centro Socioeducativo e a Prefeitura de Governador Valadares. Para a enfermeira do Centro Socioeducativo, Lídia Maria Gomes da Silva, o trabalho em conjunto com a equipe do ESF Santos Dumont II garante mais eficácia à prevenção. “A principal forma de prevenção é com a divulgação do máximo de informações à população. Essa parceria entre a equipe de saúde da nossa unidade e a Estratégia de Saúde da Família aqui do bairro é de extrema relevância para trabalharmos a prevenção, uma vez que estamos em área endêmica de várias doenças”, comentou Lídia.

No futuro, deverão acontecer outras ações envolvendo as duas instituições, para servidores que trabalham em outros turnos e também para os adolescentes atendidos pelo Centro. “A gente também tem projeto para fazer a palestra para os internos, estamos vendo a melhor maneira de fazer com os grupos. Nossa demanda é grande, mas tudo o que for programado a gente consegue fazer” - comentou Larissa. Além da enfermeira, a auxiliar de consultório dentário Hilda Pereira de Souza e a agente comunitária de saúde Daiane Cardoso também fazem parte da equipe do ESF que ofereceu orientações aos servidores do Centro Socioeducativo. Foram 35 os participantes que, ao final da palestra, ainda receberam kits de higiene dental.



0 Comments Add a Comment?

Add a comment
You can use markdown for links, quotes, bold, italics and lists. View a guide to Markdown

You will need to verify your email to approve this comment. All comments are moderated before publication.

Close